ANICT

Towards a sustainable research career with progression based on merit

PREVPAP obriga a reforço no Orçamento de Estado para a Ciência e Ensino Superior

Os atrasos significativos que se estão a observar na concretização da regularização dos investigadores via PREPVPAP tem sido frequentemente justificado pelos Reitores, com o argumento da indisponibilidade financeira para não implementar os contratos já homologados pelas respectivas CAB’s, mesmo após já ter sido afirmado publicamente, pelo Sr. Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, que irá haver reforço orçamental para cobrir os custos de contratação dos investigadores doutorados (ver notícia aqui). 

É importante ter em conta que a larga maioria (se não a totalidade) dos investigadores doutorados contratados há vários anos  nas instituições Portuguesas (ultrapassando os limites definidos por lei para contratos a termo) eram pagos por verbas transferidas pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), não havendo custos imputados às instituições.  A ANICT considera que:

  • sendo a atividade de investigação um dos pilares fundamentais da atividade universitária e nos laboratórios de estado;
  • havendo o reconhecimento pelas CAB das funções permanentes que estes investigadores estavam a cumprir nas várias instituições;

é então necessário que o Estado Português assuma as responsabilidades financeiras pela boa execução do serviço público, procedendo à inscrição, em sede de orçamento de estado, de verbas para assegurar o pagamento destes novos quadros das instituições.

Comments are closed.

%d bloggers like this: