ANICT

Towards a sustainable research career with progression based on merit

Convite à comunidade científica: inquérito sobre a profissionalização da ciência

Aos Professores do Ensino Superior,

Como seguramente saberão, o Ministério da Tecnologia e Ensino Superior está a preparar uma iniciativa legislativa que visa enquadrar os bolseiros de pós-doutoramento numa relação jurídica de trabalho (implementação de contratos de trabalho a termo certo ou termo incerto).

A passagem de bolsas a contratos está associada a um aumento dos custos de recrutamento. A ANICT defende que o rendimento líquido anual dos atuais bolseiros de pós-doutoramento não pode sofrer cortes, aquando desta mudança. Este fato, irá implicar um aumento de custos na ordem dos 50%. A ANICT defende que os orçamentos dos projetos financiados pela FCT, assim como a sua duração, sejam compatíveis com esta nova realidade.

Gostaríamos de convidar todos os Professores que são Investigadores Responsáveis por projetos, a participar neste breve questionário:

http://goo.gl/forms/Duxmi9fwL1

O prazo para submeter respostas termina no dia 30 de Abril.

Obrigado pela colaboração

Advertisements

4 responses to “Convite à comunidade científica: inquérito sobre a profissionalização da ciência

  1. Nuno Amaral Silva April 21, 2016 at 5:43 pm

    Muito boa tarde.

    Peço desculpa estar a entrar em contacto por este meio contudo gostaria de apresentar a minha opinião ao inquérito, o qual submeti.

    Creio que a ideia seria ideal para a condição dos bolseiros e assegurar assim de alguma forma, os seus direitos para o futuro incerto que nos rodeia.

    Contudo gostaria de explicar o que se passa com Doutorados a exercer atividade no nosso país e o porquê de necessitar de “desabafar” o que sinto a ler o que me é apresentado.

    Tem tudo a ver com o valor das bolsas, impraticáveis no sector privado, não querendo descurar o trabalho e empenho dos bolseiros.

    Fui bolseiro com uma BDE cofinanciada pela FCT durante 4 anos.
    Como era trabalhador de uma empresa, e a exercer o meu plano de atividades na mesma, o tempo despendido seria em função do exercício das minhas funções na empresa na qual estava no departamento R&D, auxiliando o projeto e fazendo o scale-up, construção, implementação, manutenção e gestão de ETARI’s. O vencimento líquido auferido de 980€ são atualmente “únicos” no nosso mercado laboral para jovens engenheiros licenciados. Após ter demorado 6 anos a acabar o doutoramento, do qual tive de pagar as restantes propinas por conta própria, quando acabou a bolsa, fiquei a ganhar 980 brutos mais subsidio de almoço com vencimento de 840-850€ mensais. Após 3 meses atualizaram o vencimento de um DOUTOR para 980 líquidos.

    Que quero dizer com isto e conhecendo outros doutores, empregados como eu, ou desempregados como outros, que insistem em acreditar no nosso país e na justiça social e laboral?

    Que é um abuso uma bolsa de 1490€ líquidos quando comparada com os restantes a trabalhar no privado. Quando ouço que estão a pensar em ter um ordenado bruto (e ordenado porque é um contrato de trabalho a termo) na ordem dos 2500 €, acho um absurdo incomparável e desrespeitoso para comigo e aqueles que se encontram na minha posição.

    Sem desagrado, com alguma inveja, e sabendo que eu é que estarei a ser mal pago, mas mesmo assim…

    Muito obrigado e desculpem o desabafo, mas não seria eu se não o fizesse.

    Os melhores cumprimentos,

    • nunocerca April 21, 2016 at 6:06 pm

      Nuno se lhe perguntar se prefer ter um rendimento liquido anual de 17940€ no âmbito de uma bolsa (sem direito às prestações sociais que os trabalhadores com contratos têm) ou receber exactamente o mesmo rendimento liquido anual de 17940€ no âmbito de um contrato de trabalho, o que prefere?

      • Nuno Amaral Silva April 21, 2016 at 6:47 pm

        Boa tarde Nuno.
        Apresentando assim a questão e falando em vencimento anual, certamente que como bolseiro preferia o contrato de trabalho.
        Contudo, como é um contrato existem certas obrigações sociais (como descontos, IRS, SS…) e quem os suportaria? Liquido igual para igual? Impossível, creio.
        Será essa a questão central?
        É que um salário anual desses, liquido (mesmo que em 14 meses)… 1281/mês liquidos, o que dá cerca de 1900€/mês brutos, correto?
        Desculpa, mas as minhas contas têm de ser assim.
        Cumps,

        • nunocerca April 21, 2016 at 7:03 pm

          Nuno, a questão é mesmo essa: porque existem essas contribuições extra, o custo de contratação é superior e por isso, independentemente do orçamento total que exista, ao passar de BPD a contrato, em cada 90 novas BPD’s só serão possíveis conceder cerca de 60 novos contratos. Se aumentarmos o orçamento para 120 BPD’s, só daria para 80 contratos (e assim sucessivamente).

          Em relação aos seus cálculos, acho que o bruto ronda os 1800€ porque o subsídio de alimentação (que será uma novidade para quem é BPD) cobre os restantes 100€… Atenção que isto tudo são simulações! Como saberá, dependendo do estado civil, número de filhos, e se está no continente ou arquipélagos, isso muda tudo!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: